quarta-feira, 31 de agosto de 2011

A POESIA


Devo fugir da Senhora
que me enlouquece.
Caio do muro
no meio da lama.
Intuo sagrado
o que me traz dano.
Dimensão de louco.
Oásis de hospício.
Mas se os olhos fecho
pra só ver matéria
matéria fico.
Sólido morro.
Tédio.
Terra.
Se só vir matéria
subo no muro.
De novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário